• <strong>SENSIBILIDADE DENTÁRIA</STRONG><BR>Dor causada por dentes sensíveis
    SENSIBILIDADE DENTÁRIA
    Dor causada por dentes sensíveis

A sensibilidade dentária, é definida como uma dor dentária intensa e transitória, causada pela exposição da dentina, parte interna do dente, ao meio oral e que surge após o contacto com um estímulo externo: bebidas ou alimentos frios, quentes, ácidos, doces; pressão tátil, etc.

É a causa mais frequente de dor dentária e apresenta uma elevada prevalência, afetando aproximadamente uma em cada sete pessoas adultas. Pode desencadear o aparecimento de patologias orais, como cáries, gengivite ou periodontite, se não for corrigida corretamente.

Costuma aparecer entre os 18 e os 40 anos de idade, e nos últimos anos observou-se que a sua ocorrência aumentou em utentes jovens devido ao excesso do consumo de bebidas acidogénicas e à utilização indiscriminada de produtos de branqueamento dentário sem supervisão.

ORIGEM

A sensibilidade dentária ocorre quando a dentina, que se encontra protegida pela gengiva, pelo cimento radicular e pelo esmalte dentário, perde a sua proteção natural e fica exposta.

A dentina contém milhares de tubulos microscópicos, chamadas fissuras dentinárias, que ligam a parte exterior do dente às terminações nervosas. Quando o dente perde a sua proteção devido à retração da gengiva e/ou ao desgaste do esmalte dentário, esses túbulos ficam expostos, permitindo que os estímulos externos alcancem as terminações nervosas e provoquem a sensação de dor.

CAUSAS

Numerosas situações causam a exposição das fissuras dentinárias e podem originar Sensibilidade Dentária. Estas costumam estar relacionadas com o estilo de vida dos utentes e com os seus hábitos diários de higiene oral:

  • A escovagem dentária inadequada em termos de força e/ou frequência e uma pasta dentífrica muito abrasiva podem provocar a abrasão do esmalte e/ou cemento, expondo a dentina.
  • Os alimentos e as bebidas ácidas (sumos de citrinos, refrigerantes carbonatados, etc.) provocam descalcificação ou erosão dentária, sobretudo ao nível do colo do dente.
  • A força excessiva na mastigação (trauma oclusal, bruxismo) ou os maus hábitos do utente podem provocar desgaste (atrito e/ou abrasão) e exposição da dentina.
  • O tratamento periodontal, sobretudo a cirurgia, pode eliminar parte da gengiva originando uma recessão gengival.
  • Algumas patologias gerais ou determinadas situações que provocam um meio oral ácido, como é o caso das patologias do estômago (úlcera, hérnia do hiato, etc.), psicológicas (bulimia, anorexia nervosa) ou profissionais (provadores de vinhos, padeiros, etc.).
  • Também pode surgir como consequência de casos de recessão gengival causada por tratamentos odontológicos, como uma limpeza profissional, um tratamento periodontal básico ou uma ortodontia. No entanto, também pode ser provocada por uma simples anomalia anatómica que, devido a um defeito, causa a exposição da dentina.

DIAGNÓSTICO

A dor decorrente da sensibilidade dentária é facilmente identificável, pois manifesta-se sempre perante estímulos diversos mas claramente identificáveis: bebidas ou alimentos muito frios ou muito quentes, consumo de substâncias doces ou ácidas, escovagem de dentes, respiração de ar frio, etc. A dor que se manifesta é intensa, muito bem localizada no dente que tem sensibilidade e é de curta duração: sente-se apenas enquanto ocorre o estímulo que a provoca.

Se a dor que se manifesta não estiver relacionada com um determinado estímulo e/ou persiste após a cessação deste ou não está bem localizada, provavelmente a sua causa não será a sensibilidade dentária, podendo dever-se à existência de patologias subjacentes, como, por exemplo, a cárie dentária.

Por isso, é importante ir a uma consulta clínica para que o médico dentista possa realizar a avaliação e estabelecer um diagnóstico preciso.

Controlo da afeção dentária

Para a eliminação correta da sensibilidade dentária é muito importante estabelecer medidas preventivas juntamente com ums avaliação adequada (correção por um profissional na clínica dentária e/ou no domicílio).

As Medidas preventivas recomendadas são as seguintes:

  • Prescrição de hábitos alimentares: evitar o consumo de bebidas e alimentos ácidos.
  • Correção de maus hábitos: evitar a utilização de palitos de madeira, o bruxismo, etc.
  • Instruções para uma higiene oral correta: técnica de escovagem adequada e uso de uma pasta dentífrica pouco abrasiva.

Juntamente com estas medidas, é importante a utilização de agentes dessensibilizantes que cuida do problema dos dentes sensíveis.

A grande maioria dos produtos de utilização ambulatória para cuidar a sensibilidade dentária inclui na sua composição sais de potássio, agentes dessensibilizantes que penetram até à polpa através dos túbulos dentinários expostos e atuam inibindo a transmissão nervosa que causa a dor. Em alguns casos, estes produtos também incluem fluoretos, que podem atuar tamponando parcialmente os fissuras dentinárias.

Uma revolução no problema da sensibilidade dentária para a oclusão das fissuras dentinárias foi a utilização de nanopartículas de hidroxiapatite, incorporadas numa tecnologia inovadora: DENTAID technology nanorepair®. As nanopartículas de hidroxiapatite encontram-se em tamanho e concentração adequados, permitindo-lhes depositarem-se sobre a superfície do esmalte dentário, selando as fissuras dentinárias que ficaram expostas e evitando assim a transmissão do estímulo externo que causa a dor. Além disso, formam uma camada protetora resistente à lavagem, desde a primeira aplicação.

Se a sensibilidade dentária for corrigida diariamente com produtos adequados, é evitada a sensação dolorosa que provoca e é possível recuperar a normalidade nos dentes e nas gengivas.


Política de cookies

As configurações de cookies foram salvas / atualizadas corretamente com as preferências indicadas.

Fechar